quinta-feira, janeiro 27, 2011


“Por que, então, cultivar roseiras se, quando tudo está crescido, é nelas que você se corta? Por que tanto cuidado, rega e poda se é um dos espinhos delas que sempre rasga seu dedo no meio do jardim? Por que achar que é traição quando o que escorre do ferimento não passa da colheita daquilo que plantou?”


Nenhum comentário:

Postar um comentário